Diário da Região

27/05/2018 - 00h00min

Entrevista

Espiritualidade, o agente de cura

Psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir aproxima ciência e espiritualidade

Divulgação Psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir
Psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir

De formação religiosa não ortodoxa dentro do judaísmo, o psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir estudou por muito tempo a Cabala, uma sabedoria milenar que revela como o universo e a vida funcionam. Ele teve ainda uma formação em psicodrama, uma abordagem psicoterapêutica criada por J. L Moreno, um judeu hassídico com quem conviveu, assim com sua família. Seus trabalhos têm um a influência da psicologia transpessoal de Theda Basso, também com quem convive até hoje. Enfim, com esse percurso de vida pessoal e profissional, se aproximar e aprender Sri Prem Baba foi apenas um passo para e integrar ao que sabe para distribuir, uma integração da psiquiatria e psicoterapia com a espiritualidade que existem nele.

Figura bastante atuante nas redes sociais, há pouco tempo Luiz Cuschnir iniciou um canal no YouTube, o "Relacionando" e teve a oportunidade de gravar uma série de vídeos com Prem Baba em Rishikesh na Índia, indicando de várias maneiras como é essa integração toda. Para quem não conhece, Prem Baba é um líder espiritual brasileiro. Ele divide seu tempo entre o Brasil e a Índia e, com seu trabalho, busca despertar a consciência amorosa e atingir a paz interior. Sobre espiritualidade e medicina e o encontro com Prem Baba, Luiz Cuschnir falou com exclusividade com a revista Bem-Estar.

Diário da Região- São muitos os estudos que comprovam que interferência dos aspectos espirituais nos processos biológicos e que a fé pode ser um coadjuvante nos tratamentos de saúde. Por que, atualmente, conversar sobre as crenças espirituais com os pacientes ainda é algo distante da realidade dos consultórios?

Luiz Cuschnir - Se compararmos diretamente a época que eu estava em minha formação psiquiátrica na hospital São Paulo da Unifesp e no Hospital das Clínicas da USP em 1974 e agora, avançamos muito nos dois sentidos. Tanto os processos biológicos, os procedimentos terapêuticos medicamentosos ou não, evoluíram e se ampliaram. Quanto ao entendimento e abordagem que incluem direta ou indiretamente os aspectos espirituais também estão presentes de alguma forma. Onde atuo hoje além do consultório, no Instituto de Psiquiatria do HC da FMUSP, o grupo de psicoterapia Gender Group trabalha com uma nova vertente "Despertar do Ser no homem e na mulher". Outros grupos também abordam essas questões.

Diário- Você considera importante que as pessoas entendam a importância de abordagem da dimensão espiritual da pessoa no tratamento?

Cuschnir- Sim, entendendo que uma pessoa tem suas dimensões físicas, psíquicas, sóciofamiliares e também algum ou muito acesso ao seu âmbito espiritual, validar isso é vê-la como um todo.

Diário - De que forma se dá essa ligação entre ciência, medicina e espiritualidade?

Cuschnir - A física quântica, agora entendida como uma área presente e acessível ao conhecimento da ciência e não como algo místico, nos apresenta relações muito mais fáceis de evidenciá-la. Com isso, estrutura-se a medicina quântica com seu arsenal e novas pesquisas. A espiritualidade com o desenvolvimento do autoconhecimento e do propósito da vida como propõe Prem Baba, cria esse espaço de integração da visão de saúde como um todo.

Diário- Já são muitos os especialistas que passaram a enxergar o ser humano de forma integral bio-psico-espiritual, conectado a uma imensa rede invisível que engloba todas as coisas e não têm dificuldade em reconhecer que ciência e religião se complementam. O que pode mudar nos tratamentos a partir dessa visão?

Cuschnir - Quanto mais ampla essa visão, mesmo sem o substrato religioso específico de alguma, só tendo esse olhar da espiritualidade, já indica o entendimento que a vida humana faz parte de um todo maior. As influências dos espaços e dos tempos estão presentes ali compondo este ser humano que nos apresenta ali. Ajudá-los a concretizar o propósito das suas vidas e principalmente descobrir quais são, já muda completamente a visão de tratamento.

Diário- A ciência sozinha não tem todas as respostas e muitos estudiosos garantem que todas as correntes religiosas têm a sua contribuição nesse sentido, a de complementar os conhecimentos da ciência e ajudar as pessoas a resolverem os seus problemas porque o mundo está adoecendo rapidamente. É preciso investir na sustentabilidade das pessoas?

Cuschnir- Todas as respostas não sei se teremos ou se nos cabe tê-las. A complementação do desenvolvimento de cada um se dá de acordo com a sua possibilidade de aprender o que ainda não sabe. Vemos isso no processo do autoconhecimento como busca de um "eu" mais verdadeiro em relação a si próprio, aos outros e a todas as coisas. Os profissionais estão aí para ajudar a olhar para isso baseando-se em seus arsenais de conhecimento e no que puderam também se desenvolver como pessoas. Quando se aceita a espiritualidade como integrante desses processos, a base amorosa serve como a guia para todos outros parâmetros como honestidade, respeito, ética ou confiança. Isso tudo vai tratar esse mundo que ao mesmo tempo adoece mas também evolui para uma maior consciência para todos.

Diário- Já há alguns anos a disciplina de medicina e espiritualidade existe em diversas faculdades de medicina e a própria OMS leva em consideração o tema espiritualidade como um sistema autônomo de tratamento em parceria com a medicina oficial. De que forma ampliar isso?

Cuschnir - A ampliação depende da consciência que cada um tem que se propaga quando se alteram as egrégoras, os campos mórficos energéticos que estão formados mas também cristalizados como defesas para mudanças. O apego ao que já se sabe para não se mudar nem experimentar o que pode também se bom, ou até melhor, dificultam essa ampliação. Preconceitos ainda existem e muito. Mas também o autoconhecimento buscando o entendimento de si e da nossa interferência nesses campos, principalmente no acesso ao amor em cada um de nós, facilita e interfere nessas transformações tão importantes.

Diário - Existe um propósito até mesmo na doença como um mecanismo para aprimorar certos sentimentos dentro das pessoas?

Cuschnir - Esta é uma visão até já foi ressaltada na homeopatia. Agora também integrando com a medicina quântica e o entendimento do referencial psico espiritual, podemos dizer que o corpo adoece muitas vezes como um todo. Muitas vezes os sintomas e as doenças se evidenciam tanto como resultado, consequência de situações não trabalhadas nas esferas emocionais psico espirituais como propiciando, provocando o acesso a temas que ainda não foram resolvidos.

Diário - O que deve compor o processo de cura?

Cuschnir- O processo começa com a identificação do problema e a discriminação em saber onde está a doença. Saber sobre o corpo, sobre o psíquico e sobre o espiritual em si é um enorme trabalho. Além do remédio ministrado depois do diagnóstico, abarcar com a visão psico espiritual, dá a chance de integrar mais aspectos da doença relacionando-a conscientemente com o que está identificado com ela. O quanto "somos a doença" é um bom começo. Criado esse campo de estudo sobre nós mesmos, gerando o autoconhecimento, procura-se as barreiras que podem estar impedindo que ampliemo-nos como "ser verdadeiro". Aí está então a responsabilidade de cada um na busca do seu melhor, a verdadeira busca de quem se é e o seu propósito nesta vida.

Raio X

Com mais de 40 anos de experiência em psiquiatria e psicoterapia, Luiz Cuschnir é coordenador do Gender Group do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP e do Centro de Estudos da Identidade do Homem e da Mulher (Iden). É autor de 13 livros.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso