Diário da Região

03/06/2018 - 00h00min

ESPÍRITO SANTO

Conheça a montanha camuflada no céu da região serrana do Espírito Santo

Com nova trilha, Pedra Azul combina natureza intacta, boa comida e charme rural no interior capixaba

Gustavo Cunha/Agência O Globo Turista aproveita um dos poços no topo do maciço: água límpida e gelada
Turista aproveita um dos poços no topo do maciço: água límpida e gelada

Ao longe, montanha e céu pareciam ostentar a mesmíssima cor. Foi o que os colonizadores portugueses pensaram quando avistaram uma imponente rocha na região serrana do Espírito Santo. Reza a lenda que o apelido foi cravado ali nos idos de 1500, e assim o monumento natural foi batizado de Pedra Azul. A alcunha se consolidou.

Mais tarde, já em fins do século XIX, com a chegada de imigrantes italianos e alemães em solo capixaba, a denominação não somente ganhou força como serviu de inspiração para os povoados que surgiriam ao redor da estrutura mineral de 1.822 metros de altura: hoje, Pedra Azul é também a designação de uma área incrustada em terreno fértil de Mata Atlântica, num raio que engloba os distritos de Aracê e de Santa Isabel, ambos vinculados ao município de Domingos Martins. No charmoso pedaço de terra, algo parece ser redescoberto.

A paisagem bucólica, bordada por vegetação intacta, tem chamado a atenção de turistas. De setembro de 2017 para cá, as visitas ao parque estadual que leva o nome do monólito de granito cresceram em 61%. O motivo? Para alcançar as belas piscinas naturais sobre o maciço, há uma nova trilha autoguiada, alternativa ao caminho com escalada.

"A procura aumentou demais. Nos últimos cinco meses, recebemos 25 mil pessoas", conta o guarda florestal José Bellon, ele próprio uma atração à parte no passeio que percorre 3,5 quilômetros no meio dos 1.300 hectares de mata (apenas 4% do território são abertos ao público).

O trajeto dura quase três horas. É que Belo, como o guia se apresenta, faz questão de propagar alguns causos do local, além de apontar espécies vegetais como jacarandás, cedros-rosas e jequitibás. Ele garante que a Pedra Azul reflete 36 cores ao longo do dia, a depender da incidência do sol. Com tanta energia acumulada sobre o gigante mineral, o resultado é promissor: quem encosta as mãos sobre a rocha deve realizar dois desejos. A parada é obrigatória. "Só não pode pedir namoro, casamento ou dinheiro. Isso a pedra não devolve", brinca Belo.

Nem tudo é exagero. As especulações científicas apontam que um imenso rochedo em formato de lagarto, equilibrado sobre a estrutura sólida, pode desabar em algum momento. "Amanhã ou daqui a milhões de anos", provoca Belo.

As crianças dão risada. Os adultos se entreolham. E é assim que a caminhada segue por entre as árvores fincadas sobre as nascentes do Rio Jucuí, fonte abastecedora de 60% da Grande Vitória.

Cenário de novela

Há tons improváveis aos pés do monte, além de azul, cinza e verde. Na Rota do Lagarto, uma estradinha calma entre as rodovias BR-262 e ES-164, restaurantes dividem espaço com pousadas. Na alta temporada, entre o fim de abril e agosto - época em que a temperatura beira 0°C -, as filas tomam as portas. Há quem ignore a floresta para se dedicar exclusivamente aos vinhos, aos cafés e aos pratos conceituados.

No Quadrado de São Paulino, uma praça ao fim do vilarejo, há opções para refeições e compras no fim de semana. Tudo é produzido inteiramente por aquelas bandas. Os artigos de costura e os itens decorativos são confeccionados por artesãos locais. As criações gastronômicas são feitas com ingredientes colhidos no quintal. Há um incontestável clima de refúgio, apesar do crescimento a escaladas largas do turismo. Uma novela da Globo, aliás, já foi gravada na região (Alto Astral, em 2014). "Falam que somos uma espécie de Campos do Jordão do Espírito Santo", diz a jovem Luisa Lang, uma das funcionárias da Marietta Delicatessen, casa que já recebeu personalidades como Claude Troisgros e Ana Maria Braga. "Gente de todos os estados vem para cá."

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso