Diário da Região

    • -
    • máx min
27/06/2018 - 00h30min

Fuja das cãibras

Com a chegada do inverno, veja série de cuidados para evitar cãibras

Com a chegada do inverno, essas contrações involuntárias dos músculos acabam se intensificando; alimentação e alguns cuidados são essenciais para evitar a dor

Fotos: Pixabay/Divulgação Normalmente, as cãibras são resultado de esforço físico, desidratação e deficiência de algumas vitaminas e minerais
Normalmente, as cãibras são resultado de esforço físico, desidratação e deficiência de algumas vitaminas e minerais

Quem nunca passou por aqueles momentos de tensão quando você sente que seus músculos estão começando a contrair e uma cãibra está se formando? É uma situação bastante comum, mas com uma dor que pode ser capaz de derrubar algumas pessoas. Esse é um problema enfrentado por todo mundo nos mais diversos momentos da vida, mas que acaba se agravado agora no período do inverno.

A definição de cãibras é simples. Trata-se de contrações involuntárias dos músculos, movimento também conhecido por espasmo. Elas podem afetar qualquer parte do corpo, mas há uma tendência a ocorrerem nos músculos da panturrilha, da coxa, pescoço, pés, mãos e abdômen.

Segundo o médico Ivan Togni Filho, que atende nas áreas de nutrologia e emagrecimento, quando sentimos uma cãibra o nosso organismo esta dizendo que precisamos repor água e sais minerais. Mas suas causas são as mais diversas possíveis. "O uso excessivo de um músculo, desidratação, tensão muscular ou simplesmente manter a mesma posição por período prolongado, tudo isso pode acarretar sua cãibra."

Elas também podem ser resultado do uso de alguns medicamentos e da deficiência de vitaminas e minerais por distúrbios psicossomáticos, explica Márcio Valsecchi, doutor em osteopatia e diretor do Instituto Valsechi. E esse cenário se complica com as temperaturas mais baixas.

"No tempo frio, os músculo estão constantemente em uma pré-tensão, fazendo com que as contrações involuntárias musculares sejam mais frequentes. O contrário acontece quando os músculos estão aquecidos, com uma maior vascularização e, consequentemente, maior relaxamento. Por isso é importante realizar aquecimentos antes de atividades físicas", diz Valsecchi.

Mas essa aparentemente simples contração muscular também pode ser sinal de algo mais sério, afirma Togni Filho. "Devemos ficar atentos às doenças relacionadas à cãibra, como compressão do nervo, diabetes, estreitamento das artérias e doenças neurológicas". A recomendação é procurar um especialista caso as dores se tornem recorrentes demais ou demorem muito para desaparecer.

A prevenção começa com alguns cuidados básicos que devem fazer parte do dia a dia das pessoas. "É importante ter uma boa alimentação, hidratação adequada, alongamentos antes e após as atividades físicas e, consequentemente, uma atividade mental equilibrada", aconselha Valsecchi.

Um dos alimentos comumente ligados ao combate às cãibras é a banana. A fruta, rica em potássio, é a mais recomenda e com motivos, diz Togni Filho. "O potássio é um dos principais minerais responsáveis pelo equilíbrio hidroeletrolítico, que é um dos principais fatores que originam a câimbra. Ela ajuda bastante na prevenção da contração, porém, se não houver a reposição dos demais nutrientes e sais minerais, somente ela não ira fazer a prevenção."

Além do potássio, é importante buscar alimentos com magnésio, sódio e cálcio. "Abacate, castanha do Pará, feijão, cenoura, brócolis, couve. Os alimentos devem ser consumidos de forma equilibrada, para melhor absorção. Lembre-se sempre da importância do consumo de água e devemos também fazer exames periódicos para investigar a causa junto com os sintomas do paciente", completa Togni Filho.

Junto com a alimentação adequada, Valsecchi aconselha o uso da osteopatia como forma de prevenção e de reação às cãibras. "A osteopatia possui a função de equilibrar o indivíduo física e emocionalmente. Para evitar o aparecimento e recidivas das câimbras, o osteopata consegue, de forma manual, reequilibrar os tecidos corporais (ossos, articulações, músculos, tendões, vísceras, etc.) e, consequentemente, proporcionar uma melhor atividade muscular."

Dores noturnas

Apesar de ter na exaustão do músculo seu principal fator causador, as cãibras também são comuns quando dormimos, em um momento de relaxamento do corpo. A causa? Um mistério, afirma Vaslecchi. "Eliminando os fatores físicos, como exercícios físicos intensos, e fatores nutricionais, as câimbras noturnas, para a ciência, ainda são um mistério. Mesmo em pacientes com um equilíbrio alimentar as câimbras noturnas podem ocorrer."

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso