Diário da Região

07/08/2018 - 11h33min

IMPORTADORA VINCI

Conheça os vinhos da alentejana Monte do Álamo

A importadora Vinci convidou a imprensa especializada para conhecer os vinhos, que foram apresentados pelo seu enólogo, Felipe Sevinate e outro representante da vinícola

Arquivo pessoal Apresentador do evento, que contou com a presença da imprensa especializada
Apresentador do evento, que contou com a presença da imprensa especializada

A importadora Vinci trouxe para o Brasil os produtores da vinícola Monte do Álamo, situada na região do Alentejo, próximo à Évora.

A vinícola começou em 2001. Ela fica no coração do Alentejo, numa das mais bonitas planícies entre Évora e Evoramonte, onde se situa o Monte do Álamo. A herdade conta com 1.000 hectares de atividade agrícola desenvolvida há mais de 30 anos pela família Noronha Mendes de Almeida.

Os primeiros vinhos começaram a ser produzidos em 2006 com o vinho tinto Etc. e, em 2007, o vinho branco Etc.

A importadora Vinci convidou a imprensa especializada para conhecer os vinhos, que foram apresentados pelo seu enólogo, Felipe Sevinate e outro representante da vinícola.

Os produtores trouxeram para este evento, três linhas de vinhos. A mais simples delas é a Platéia, com vinhos que custam US$ 17,90.

A segunda linha presente foi a ETC, com vinhos que custam US$ 25,50.

Os vinhos das linha superiores foram:

O vinho branco da linha Platéia é produzido das cepas: Verdelho (70%) e Antão Vaz (30%) bom para acompanhar pratos leves ou como aperitivo.

O ETC Branco 2015 é feito com as cepas: Roupeiro (30%), Arinto (60%) e Antão Vaz (10%). É um vinho com acentuado aroma floral, boa acidez, untuoso, bem seco, persistente e com cítrico na boca. É um bom vinho branco.

O Platéia Tinto 2015 é produzido das cepas: Aragonês (60%), Tinta Caiada (35%) e Trincadeira (5%). É um vinho que apresenta um aroma de flores no início e tem muita acidez, simplicidade e frescor. É um vinho que oferece boa relação custo / benefício.

O ETC Tinto 2015 é produzido com as cepas: Alfrocheiro (30%), Aragonês (50%), Trincadeira (10%) e Tinta Caiada (10%). É um vinho equilibrado e com um bom tanino. Este vinho me agradou bem, principalmente pela relação custo / benefício que oferece.

Monte da Guiça, tinto,2015, das cepas: Alfrocheiro (60%) e Tinta Caiada (40%). Este é um vinho bem macio, delicado e fácil de gostar, com um longo final de boca e complexo. Custa US$38,50.

Vinha da Guiça Reserva Tinto 2014 fica 12 meses em barricas novas de carvalho francês e 6 meses em repouso na cave. Suas cepas são: Alicante Bouchet (70%), Alfrocheiro (30%). Ele é produzido com as melhores uvas e é um belo vinho, excelente na boca e no nariz. Ele custa US$59,90.

Como sempre, os portugueses foram muito simpáticos e mostraram por que seus vinhos têm cada vez mais ganhado prêmios. Os vinhos portugueses têm uma qualidade boa e preços acessíveis.

Agradeço à Vinci pelo convite.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso