Diário da Região

10/08/2018 - 15h29min

GASTRONOMIA

Conheça restaurante Fitó, que trabalha com produtos nacionais

Veja o que Alberto Andaló Júnior fala sobre o restaurante Fitó

Arquivo pessoal Parte do ambiente do restaurante
Parte do ambiente do restaurante

Cada vez mais podemos notar o aparecimento de restaurantes que trabalham com produtos nacionais e que fazem preparações cuidadosas.

Um destes casos é o do restaurante Fitó, que fica na rua Cardeal Arco Verde 2.773, (telefone: 3032-0963). Ele é um restaurante um pouco difícil de achar, pois fica no trecho baixo da Cardeal Arcoverde, logo depois do largo da Batata.

Ainda que sua localização não seja das mais fáceis, o Fitó é mais uma boa opção desta nova onda de restaurantes que vem acontecendo no baixo Pinheiros. Perto dele, ainda temos o Maria Farinha e o asiático Mica.

O local do restaurante Fitó é pequeno, mas sua decoração é moderna e de bom gosto, ainda que o local seja um tanto barulhento, pois quase tudo lá é concreto aparente.

O nome do restaurante Fitó vem do apelido da chefe Cafira Foz, que é originária do Piauí, região do árido nordestino.

Logo na entrada , fui recebido por Morena, que é uma recepcionista bem simpática.

O menu do Fitó é pequeno, apenas com seis pratos principais e quatro pratos de petiscos, além dos pratos oferecidos no próprio dia.

Estive lá três vezes para almoçar e sempre optei pelo prato do dia. Numa das vezes, pedi, como entrada, o bolinho de costela, que é feito de carne de porco empanada no panco, servido com geléia de pimenta da casa (6 unidades), uma delícia! (R$ 15).

Os pratos que experimentei depois foram:

Prato da sexta feira: Peixe na tapioca: pescada empanada na tapioca, vinagrete de feijão fradinho, maionese, coentro e arroz. Achei o prato delicioso e ele custou apenas R$ 29.

Prato da quarta: Costelinha de porco temperada com especiarias e pincelada de geléia de taperabá acompanhada de legumes do sertão refogados (maxixe, abóbora, quiabo, batata doce). A costela estava suculenta e com muita carne. Achei os legumes pouco temperados e eu particularmente não gosto de abóbora em pratos salgados. Custou R$ 29.

Paçoca: Carne de sol da casa, com farinha de mandioca, manteiga de garrafa, servida com baião de 2, banana da terra e queijo de coalho. Custou R$ 35, estava saborosa, porém um pouco seca.

Provei também o Bolo de chocolate belga, com calda de cupuaçu e nibs de cacau (chocolate meio amargo Callebaut) , que estava divino! O tamanho da porção é até mesmo exagerada.

Junto com todos os pratos do dia, é servida uma saladinha com uma rodela de carambola muito gostosa.

Enfim, vale muito a pena conhecer este lugar, que além de tudo fala da nossa culinária! 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso