Diário da Região

Blogs
Preto no branco


Marco Antonio dos Santos. Histórias sobre a cultura negra no Brasil e no mundo.
A ligação da felicidade da mulher negra e o cabelo
quinta-feira, 27/09/18, às 15:12, por
Compartilhe

Um filme muito importante para refletir sobre a autoestima da mulher negra está em exibição na Netflix. Com o título "A Felicidade Por Um Fio" é baseado no livro Nappily Ever After, escrito Trisha Thomas, publicado em 2000 e só agora foi filmado.

O enredo conta a história de uma publicitária negra bem sucedida, Violet, interpretada pela atriz Sanaa Lathan, que tem toda sua autoestima ligada ao cabelo, cuidado com muito zelo. Na vida particular, vive com um médico negro, de quem espera um pedido de casamento, outra suposta condição para felicidade feminina.

Desde a infância, ela foi ensinada pela sociedade, a acreditar que para ser feliz, precisa ter o cabelo alisado. Essa impressão fica mais forte quando por acidente ela perde parte do cabelo em um salão de beleza ao usar um produto errado. Para se sentir menos desconfortável, passa a usar uma peruca.

Como se fosse uma espécie de versão feminina de Sansão, do Velho Testamento da Bíblia Sagrada, Violet vê sua vida desmoronar com o desarranjo no cabelo. O namorado a decepciona ao não pedi-la em casamento, mas dar um cão de presente. Além disto, ela faz uma desconcentrada apresentação de campanha publicitária e acaba afastada temporariamente do trabalho.

O fundo do poço é após um encontro desastroso, ela raspa a cabeça. Desta forma, chega até ser confundida com paciente de tratamento de câncer, como se ter a cabeça raspada fosse condição só de quem está doente. É também uma opção de estética.

O bacana é que por meio do dono do salão de beleza, que destruiu seu cabelo e principalmente da filha dela, ela passa a entender que sua força feminina e sua beleza não vem do cabelo, mas da sua autoestima.

Com o passar do filme, Violet vai refletindo que desde a infância foi educada a seguir aquele padrão de beleza. Uma das maiores defensoras desta estética é sua mãe, outra vítima da imposição dos cabelos alisados.

As novelas, filmes, propagandas e internet produzem hoje em dia milhões de Violet, mulheres que se enganam em pensar que só serão bonitas se tiverem cabelo, corpo e peso iguais aos das modelos e atrizes.

Vale a pena assistir o filme que além de distrair, ajuda a refletir sobre o que é de fato beleza: acima de tudo ser feliz em ser você mesmo. Recomendo assistir!

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso